As Estruturas da
Congregação do Santíssimo Redentor


A Congregação do Santíssimo Redentor começou no Reino de Nápoles, no sul da Itália. O nosso Fundador, Santo Afonso de Ligório, reuniu um grupo de homens – sacerdotes e irmãos – para viverem a vida comunitária e os votos evangélicos e para trabalharem juntos como missionários. Por isso, a primeira e fundamental estrutura da Congregação é a comunidade apostólica: um grupo de missionários redentoristas que vivem juntos, pondo em comum suas orações e deliberações, trabalhos e sofrimentos, sucessos e fracassos, e seus bens materiais, para o serviço do Evangelho. Cada comunidade tem um superior local, alguém designado para exercer o ministério da liderança e o serviço da autoridade para o bem comum, junto com um assistente chamado vigário e um grupo de conselheiros denominado conselho.

As comunidades locais estão organizadas em Unidades maiores chamadas Províncias, Vice-Províncias, Regiões ou Missões. No entanto, a Congregação não deve ser entendida como uma confederação de Unidades, mas sim como um corpo único, chamado para uma única missão, com uma sadia tensão entre as solicitudes locais ou regionais, e a missão global da Congregação.

A Província, portanto, é uma unidade orgânica da Congregação, que consiste de várias comunidades, dentro de um território geográfico definido, sob um Superior, com um conselho ordinário e um extraordinário. Esses conselhos têm suas respectivas competências. A estrutura da Província existe para que, através de seus vários ministérios e dons, possa atingir eficazmente a finalidade da Congregação em comunhão com as outras Unidades do Instituto, sob a autoridade do Governo Geral. Na direção da Província, o Capítulo Provincial é o organismo primário de governo. É uma pessoa colegial, moral, composta de representantes de todos os membros. É dever do Capítulo Provincial prestar contínua atenção à renovação e à adaptação da vida apostólica e do governo da Província.

A Vice-Província é também um conjunto de várias comunidades, mas não é plenamente suficiente em si mesma. As Vice-Províncias existem especialmente onde há uma situação missionária nova. A Vice-Província tem sua origem numa Província, é assistida pela Província em termos de pessoal e de finanças. As Vice-Províncias têm a mesma estrutura, as mesmas instituições e o mesmo modo de atribuir ofícios que as Províncias. As Vice-Províncias gozam da liberdade e da autoridade necessárias para organizar seu próprio modo de viver do modo que convém às necessidades particulares de sua missão.

As Províncias e Vice-Províncias, com a aprovação do Conselho Geral, podem constituir Regiões e Missões, que são Unidades com um menor número de comunidades e de membros, em áreas geográficas específicas de carência missionária, com menos autonomia, maior dependência e mais diretamente governadas pela Província ou Vice-Província de origem. Habitualmente há um Superior designado para a Região ou Missão, que exerce a autoridade em comunhão com o Superior provincial e seus Conselhos. Quando necessário, algumas Regiões são especialmente constituídas como diretamente sujeitas à autoridade do Conselho Geral e não a uma determinada Província ou Vice-Província.

Através de seis grandes regiões: Europa-Sul, Europa-Norte, América do Norte, América Latina, Ásia-Oceania e África, a Congregação experimentou uma organização em nível hemisférico e continental. Dentro dessas grandes regiões, havia sub-regiões menores, como a Europa Oriental, sul e norte da América Latina, Brasil, etc. Estas estruturas regionais permitiram uma eficácia missionária e solidariedade maiores, com um uso mais eficaz dos recursos financeiros e de pessoal. Em 2009, com a criação das Conferências, a Congregação adaptou e reforçou estas estruturas, na esperança de torná-las ainda mais eficazes (ver abaixo).

O Capítulo Geral e o Governo Geral constituem o nível mais universal da Congregação.

O Capítulo Geral ordinário, convocado pelo Superior Geral a cada seis anos, é o organismo primário e representativo, responsável pela vida apostólica da Congregação. É função do Capítulo Geral cuidar dos interesses da vida apostólica de todo o Instituto, fortalecer os laços que unem suas diversas partes, e promover a adaptação das instituições e das normas de vida da Congregação às necessidades da Igreja e da humanidade. O Capítulo Geral examina cuidadosamente a missão da Congregação de acordo com o espírito do Fundador e de suas sadias tradições.

O Governo Geral é formado pelo Superior Geral e pelos Conselheiros Gerais, um dos quais é o Vigário (o segundo no ofício), que são co-responsáveis no governar a Congregação inteira. Atualmente há seis Conselheiros Gerais, um de cada uma das maiores regiões da Congregação. Eles formam juntos o Conselho Geral, que é um organismo permanente de direção e execução. O Governo Geral inspira e estimula a renovação continua, fazendo-se regularmente presente nas várias Unidades de modo efetivo e exerce a liderança.

O Conselho Geral é servido pelos quatro Oficiais maiores da Cúria Geral: o Procurador Geral, o Ecônomo Geral, o Secretário Geral e o Postulador Geral; e por outros oficiais como o Arquivista Geral, o Cronista Geral, o Diretor do Serviço de Comunicação e os tradutores e secretários.

Outros serviços são prestados pelos Arquivos Gerais, pelo Instituto Histórico, pela Academia Alfonsiana, pelo Centro de Espiritualidade Redentorista, pelo Colégio Maior de Estudos Superiores, pelo Santuário de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro (Igreja Santo Afonso), além dos vários Secretariados e Comissões Gerais, estabelecidos de acordo com as necessidades de momentos históricos particulares

O XXIII Capítulo Geral, celebrado em 2003, reconheceu a reestruturação como uma das principais preocupações para o sexênio seguinte (período de seis anos). Durante este tempo o Governo Geral e uma Comissão para a Reestruturação especialmente organizada, em conjunto com as várias Unidades da Congregação, ocuparam-se desta desafiadora tarefa. Havia muitos elementos envolvidos nas decisões sobre a reestruturação, mas a maior preocupação devia ser sempre a missão. Todas as estruturas devem servir à mobilidade e ao dinamismo missionários. A Congregação não pode permitir-se estabelecer-se em ambientes e estruturas em que seu trabalho não seria mais missionário. Por isso, ela adapta constantemente suas estruturas e instituições, e busca novas formas de evangelizar, de modo a responder mais eficazmente às necessidades missionárias e a servir melhor à missão da Igreja, sempre fiel ao seu carisma e vocação de pregar o Evangelho aos pobres mais abandonados, onde quer que estejam.

O XXIV Capítulo Geral, celebrado em 2009, adotando o tema "Reestruturação para a Missão - Esperança em Ação", endossou o trabalho realizado pela Comissão para a Reestruturação durante o sexênio 2003-2009 e usou seu trabalho, juntamente com as reflexões do Conselho Geral contidas no Instrumentum laboris e as reflexões do Superior Geral, como uma base sólida para a reflexão, o estudo e as decisões antes do Capítulo e enquanto este era celebrado. O XXIV Capítulo Geral aceitou os seis princípios básicos da reestruturação e acrescentou mais um seu, fazendo subir para sete os princípios orientadores para reestruturar a Congregação do Santíssimo Redentor. A ênfase maior foi sobre o "porquê" da reestruturação, convidando todos a perceber a urgência histórica do momento. Este Capítulo Geral, para facilitar um mais amplo discernimento missionário e a tomada de decisões, decidiu organizar a Congregação em Conferências. A Conferência inclui todos os Redentoristas que vivem e trabalham dentro de suas fronteiras. Os Redentoristas que vivem dentro da área geográfica de uma Conferência estão representados na Assembleia da Conferência por seus Superiores Provinciais, Vice-Provinciais, Regionais e das Missões, e vogais, conforme determinação dos Estatutos de cada Conferência. A Assembleia da Conferência irá determinar a periodicidade das reuniões, a possibilidade de criar Sub-Conferências e a participação de leigos associados.

Dentre as seis regiões organizadas e mencionadas anteriormente, o XXIV Capítulo Geral decidiu estabelecer formalmente estas cinco Conferências:

Conferência dos Redentoristas da Ásia-Oceania;
• Conferência dos Redentoristas da África e Madagascar;
• Conferência dos Redentoristas da Europa;
• Conferência dos Redentoristas da América Latina e Caribe;
• Conferência dos Redentoristas da América do Norte.

A Conferência da América Latina e Caribe consistirá de três Sub-Conferências (já bem estabelecidas anteriormente como sub-regiões): URB, a União dos Redentoristas do Brasil; URSAL, a União dos Redentoristas do Sul da América Latina e URNALC, a União dos Redentoristas do norte da América Latina e Caribe. As outras Conferências, se for considerado necessário e oportuno, poderão também estabelecer Sub-Conferências no futuro.

A Conferência e sua Assembleia são estruturas intermédias entre o Governo Geral e as Unidades individuais. O Coordenador, como presidente da Conferência e da sua Assembleia, é nomeado para o sexênio pelo Conselho Geral, a partir de uma lista de três candidatos propostos pela Assembleia da Conferência, a qual vai decidir se um Superior Maior pode ou não ser apresentado como candidato a Coordenador. O Coordenador terá a autoridade de um Delegado do Superior Geral e receberá as faculdades que forem necessárias ou úteis para o desempenho de seu ofício. Os Estatutos da Conferência providenciarão um Conselho para assistir o Coordenador.

O Coordenador, trabalhando num espírito de colegialidade com a Assembleia, exercerá sua autoridade delegada na vida apostólica da Conferência, nas seguintes áreas:

Comunidades e iniciativas internacionais e interprovinciais;
Formação inicial e contínua;
• Promoção e implementação da solidariedade econômica;
• Desenvolvimento de um apostolado social;
• Assistência às Unidades mais frágeis que precisam de ajuda para organizar suas estruturas;
• Promoção e facilitação de um processo de fusão ou federação, ou de outras formas de associação, onde forem apropriadas; e
• Acompanhamento durante as visitas gerais.

As principais tarefas do Coordenador são:

• guiar o processo de um discernimento missionário mais amplo na Conferência;
• presidir a revisão de vida da Conferência numa perspectiva missionária;
• atuar como "animador", apoiando novas iniciativas missionárias na Conferência;
• estar atento às necessidades das Unidades frágeis e facilitar as necessárias decisões;
• ajudar a Conferência a encontrar boas estruturas para a formação inicial;
• facilitar a formação contínua dos confrades chamados a novas iniciativas, entre as quais possivelmente a criação de comunidades interprovinciais e internacionais; e
• atuar como ligação com o Conselho Geral em todos os assuntos relativos à Conferência.

Cada Conferência formula seus próprios Estatutos, que devem ser aprovados pelo Governo Geral. Os Estatutos de cada Conferência vão indicar os modos específicos de funcionamento da Conferência, por exemplo:

• o processo de levantar e propor ao Conselho Geral nomes de possíveis Coordenadores;
• as modalidades de representação e participação das Sub-Conferências (se as houver);
• a forma como o trabalho do Coordenador será financiado;
• a convocação das reuniões da Assembleia da Conferência;
• participação em eventos comuns ou locais; e
• como os leigos associados serão representados, etc.

Quanto ao trabalho em rede na Congregação, o Governo Geral, durante o próximo sexênio, em diálogo com as Assembleias das Conferências, vai desenvolver estruturas eficazes, inclusive disposições financeiras, para promover obras apostólicas essenciais além dos limites da Conferência, em especial nas seguintes áreas:

• Trabalho pastoral entre aqueles que sofrem por causa da mobilidade humana;
Meios de Comunicação Redentoristas (incluindo novas formas de comunicação de massa);
Pastoral dos Santuários;
• Uma rede para a África e Madagascar;
Reflexão Teológica na nossa tradição redentorista;
Missões Populares;
Pastoral da Juventude;
Paróquias Missionárias;
Pastoral da Justiça Social.

O XXIV Capítulo Geral reconheceu que as Conferências são intrínsecas à dinâmica do Capítulo Geral. Para responder mais adequadamente ao amplo mandato dado ao Capítulo Geral nas Constituições, o Capítulo Geral será tratado como um processo que tem lugar num certo período de tempo e em fases inter-relacionadas. O Capítulo Geral será celebrado como um processo em três fases:

Fase 1: Fase Inicial (Reunião Pré-Capitular);
Fase 2: Fase Canônica do Capítulo Geral;
Fase 3: Fase de implementação (Reunião Pós-Capitular).

Como foi mandado pelo XXIV Capítulo Geral, o Conselho Geral nomeou uma Comissão para a Solidariedade Econômica para investigar, estudar e propor, durante o sexênio 2009-2015, um sistema mais satisfatório para uma efetiva solidariedade econômica na Congregação. Esta Comissão apresentará nas reuniões da metade do sexênio um relatório sobre os progressos realizados. O XXV Capítulo Geral vai avaliar os resultados deste estudo, adotar as propostas valiosas e tomar as decisões necessárias.

 

************************

As Unidades da
Congregação do Santíssimo Redentor

Conferências, Províncias, Vice-Províncias
Regiões e Missões

2013

Clicar no nome da Unidade para abrir o mapa que
mostra a localização das comunidades naquela Unidade.


0000
     Governo Geral

                Cúria Geral
                Archivos Gerais
                Instituto Histórico
                
Comunidade Santo Afonso
                
Academia Alfonsiana
                
Colégio Maior
                
Santuário de N.S. do Perpétuo Socorro


9100
     Conferência da Europa (Mapa 1)
              Conferência da Europa (Mapa 2)

0060         Região da Bélgica-Sul
0100         Província de Roma
0200         Província de Nápoles

0500         Província de Viena
0502         Região de Copenhague
0800 
        Província de Munique
1100         Província de Londres
1300         Província de Dublin

1500         Província de Madrid
1600  
         Província de Praga
1603
           Vice-Província de Bratislava
1604 
          Vice-Província de Michalovce
1700   
       Província de Vársovia
1704         Região de Sanctus Gerardus
1800         Província de Estrasburgo
3300           Província de Lisboa
4200           Província de Lviv
4201 
         Missão de Prokopievsk
4400           Província de Lyon-Paris

5000         Província de Sanctus Clemens


9200
      Conferência da América do Norte


0700         Província de Baltimore
0704         Vice-Província de Richmond
0706         Região
do Caribe de língua inglesa 1
                Região
do Caribe de língua inglesa 2
                Região do Caribe de língua inglesa 3
                Região do Caribe de língua inglesa 4
1900         Província de
Santana de Beaupré
3100 
         Província de Yorkton
3401
           Vice-Província Extra Patriam
4500
           Província de Denver
4600           Província de Edmonton-Toronto


9300
     Conferência da América Latina
                 e Caribe
               América Central
               O Caribe


     9310
  Sub-Conferência da URB
                União dos Redentoristas do Brasil


0061
         Região de Suriname
1304         Vice-Província de Fortaleza
1702           Vice-Província da Bahia

2300           Província de São Paulo
2303           Vice-Província do Recife

2600           Província do Rio de Janeiro
3500            Província de Porto Alegre
4100   
       Província de Campo Grande
4300   
        Província de Goiás
4501
            Vice-Província de Manaus

     9320  Sub-Conferência da URSAL
                União dos Redentoristas
                do Sul da América Latina


1701          Vice-Província de Resistencia

2200          Província de Buenos Aires
2201   
       Vice-Província do Peru-Sul

3000           Província de Santiago
4800
            Província da Bolivia
5200
         Província do Paraguai

     9330  Sub-Conferência da URNALC
                União dos Redentoristas
                do Norte da América Latina e Caribe


0059         Missão de Cuba

1502         Vice-Província de Caracas
1507         Vice-Província do Peru-Norte
1904         Região de Porto Príncipe 1
                Região de Porto Príncipe 2
2400          Provincia de Quito
2800    
      Província de Bogotá

3600
           Província do México
3900          Província de San Juan 1
                   Província de San Juan 2
5300         Província da América Central


9400
    Conferência da Ásia-Oceania (Mapa 1)

             Conferência da Ásia-Oceania (Mapa 2)

0058          Região da Coréia
0802          Vice-Província de Kagoshima
1902          Vice-Província
de Tóquio
2100          Província de Canberra
2101          Vice-Província de Manila
2102          
Região de Aotearoa
2103          Vice-Província de Ipoh

3400   
        Província do Vietnã
3800   
        Província de Bangalore
3801          
Região de Colombo
3803          
Vice-Província de Majella
4700          Província de Cebu
4900          Província da Indonesia
5006
         Missão de Beirute
5007          Missão de Iraque
5100
         Província de Liguori
5400          Província da Tailândia


9500
     Conferência da África e Madagascar


0202         Região de Madagascar

1103         Região de Zimbábue
1509         Missão da Costa do Marfim
2202         Missão
de Moçambique
2801         Missão de Ghana

3301         Vice-Província de Luanda
3804         Missão de Quênia
4000         Província da África do Sul
4401         Vice-Província da África Ocidental
1
              
 Vice-Província da África Ocidental 2
4504         
Vice-Província de Nigéria
5005         Vice-Província de Matadi