Arquivo Geral

 

Arquivo Histórico Geral
da
Congregação do Santíssimo Redentor

 

O Arquivo Geral Histórico da Congregação do Santíssimo Redentor existe para que seja conservada, ordenada e catalogada toda a documentação de valor histórico da Congregação, a partir dos escritos do seu Fundador, Afonso Maria de Ligório, como os documentos oficiais do Governo Geral e das províncias, vice-províncias, regiões e membros da Congregação, e também toda a documentação relacionada com a Congregação ou com algum de seus membros.

O Arquivo Geral começou a ser organizado já nos tempos do Fundador, o qual tinha o cuidado de garantir que os documentos importantes fossem conservados e guardados com esmero nos respectivos arquivos das comunidades locais.

O Arquivo Geral foi iniciado em Pagani no século XIX e seu primeiro arquivista foi o Pe. Giovanni Giuseppe Sabelli, que reuniu e organizou toda a documentação desde 1747 até 1848.

Em 1856 o Arquivo Geral estabeleceu-se em Roma sob a direção do Pe. Edouard Schwindenhammer. Em 1869, após a reunificação da Congregação, grande parte do arquivo de Pagani foi transladado para Roma.

Sucederam al Pe. Schwindenhammer como Arquivistas Gerais, o Pe. Michael Ulrich em 1862, o Pe. Friedrich Kuntz em 1879; o Pe. Edouard Bührel em 1903; o Pe. Jean Baptiste Raus em 1924; o Pe. Louis Arnold em 1943; o Pe. Philip Hoffmann em 1946; o Pe. Maurice De Meulemeester em 1949; o Pe. Andreas Sampers em 1951; o Pe. Hernán Arboleda Valencia em 1986 e o Pe. Raúl Campos em 2004.

Em 1986 o Arquivo Geral possuía 590 volumes de documentos catalogados, correspondentes ao período de 1725 a 1954. Estavam distribuídos em 7 seções distintas. A documentação alfonsiana está identificada no Arquivo Geral Histórico com a sigla SAM (Sancti Alfonsi Manuscripta).

Desde 1989 começou no Arquivo Geral a digitação com o programa LIDOS. Atualmente se trabalha com ARBOR, um data-base expressamente criado pelo Pe. John Vargas para o Arquivo Geral. O Pe. Stephen Rehrauer colaborou na transferência dos dados para o novo programa. Em meados do ano 2005 as fichas digitais somam: 100.000 documentos, 11.292 livros, 2.428 revistas, 6.283 sobre capítulos gerais, 2.543 artigos, 16.200 fotografias, diapositivos e outras imagens, 1.273 plantas de edifícios. A transcrição digitalizada do fichário do Pe. Andreas Sampers soma outras 24.012 unidades.

No entanto, o trabalho a ser feito é enorme. O que já foi catalogado e registrado é bem pouca coisa em comparação com toda a documentação que ainda resta. Cada documento é identificado com um número, marcado com o carimbo do Arquivo Geral e colocado numa capa que o protege no interior da pasta onde deverá ficar. No computador especificam-se todos os dados que facilitem a localização do documento e possam contribuir para seu melhor aproveitamento.

Como já é tradição, todas as Unidades da Congregação enviam ao Pe. Geral três exemplares de todas as publicações que editam: livros, revistas, folhetos, álbuns, etc. Neles se conserva a memória histórica de nossa vida e de nosso ministério.

O Arquivo Geral Histórico está sempre acessível a quem deseja pesquisar. Permanece fechado durante os meses de julho e agosto; como também durante as férias de Natal, aos sábados e nos dias festivos.

Os arquivistas


Pe. Edward Nocuń
(
archivio.gen@cssr.com)

Nasceu a 11 de outubro de 1950 em Radlice, Polônia. Fez a profissão a 15 de agosto de 1969 e foi ordenado presbítero a 17 de junho de 1976.

Foi formador no noviciado de fevereiro de 1977 a junho de 1979, e dirigiu os estudantes nos anos 1985-1987. Foi prefeito dos postulantes coristas de 1987 a 1990. Em 1991 laureou-se em história da Igreja na Universidade Católica de Lublino, Polônia. Foi mestre dos noviços de agosto de 1992 a fevereiro de 1996 e Superior provincial da Província de Varsóvia de fevereiro de 1996 a fevereiro de 2002. De 1° de janeiro de 2004 até o fim de maio de 2007 exerceu o ministério pastoral no Santuário Mariano Mariahilfberg, Neumarkt OPf, Alemanha. Desde 1° de julho de 2007 é Arquivista Geral em Roma.

Pe. Jean Beco (jbeco@cssr.com)

Vice-Arquivista, é um Redentorista belga, nascido dia 10 de outubro de 1938 em Charleroi, diocese de Tournai. Professou dia 15 de setembro 1958. Foi ordenado sacerdote a 19 de março de 1964.

Exerceu a atividade de professor e muitas outras tarefas em diversas comunidades. De 1983 al 1993 desempenhou o cargo de ecônomo das missões extrangeiras da República Democrática do Congo (Zaire), do Haití e do Brasil.

A partir de 1988 é cronista e arquivista provincial da província belga. Desde 1993 colabora no Arquivo Geral. Está informatizando a documentação da província belga e está preparando uma edição de diversos documentos e também da volumosa correspondência do Padre Friedrick von Held, visitador oficial para a Bélgica.

Pe. Ivo Fernandes (ifernandes@cssr.com)

Pe. Ivo Fernandes, Missionário Redentorista da Província de Bangalore (Índia), nasceu a 30 de novembro de 1930 em Bukoba, Tanzânia (África Oriental Britânica), onde seu pai trabalhou por 24 anos. Em 1937 sua família voltou para a Índia e passou a morar em Poona. Ele emitiu os votos religiosos em 1949, fez a profissão perpétua em 1952 e foi ordenado sacerdote em 1955.

Nos anos 1956-1957 fez o curso de licenciatura em teologia no Angelicum de Roma. Estudou teologia moral na Academia Alfonsiana de 1957 a 1959. Em 1960 obteve o Doutorado em teologia no Angelicum. De volta à Índia, primeiro ensinou latim e depois teologia dogmática no seminário maior de Bangalore. Ao mesmo tempo, lecionava teologia moral num Instituto para o treinamento pós-noviciado de religiosas e foi capelão da Universidade Médica de São João de Bangalore, onde ensinou religião e ética.

Exerceu o cargo de superior em várias comunidades. Em 1971 tornou-se pregador de missões em tempo integral. Durante 23 anos seu principal apostolado, especialmente no norte da Índia, foi dar Seminários de Orientação de Vida em escolas e colégios, sobretudo para estudantes não cristãos e seus pais. Trabalhou ativamente em “Marriage Encounter” (Encontros de Casais) como sacerdote assessor durante 27 anos.

Em setembro de 2008, foi chamado para trabalhar em tempo parcial no Arquivo Geral de Roma, para catalogar documentos e informatizá-los no programa database. No dia 5 de fevereiro de 2009, foi nomeado para trabalhar no Arquivo Geral por um período de três anos.

Pe. Emilio Szopinski (eszopinski@cssr.com)

Nasceu no dia 24 de abril de 1937 em Woliczka-Rzeszów, Polônia. Professou a 31 de agosto de 1953 e foi ordenado sacerdote a 27 de agosto de 1961.

Pregou missões paroquiais na Polônia, na Argentina, no Paraguai e na Bolívia. Nacionalizado argentino, desempenhou diversos cargos na vice-província de Resistencia, Argentina.

Desde o ano 2000 trabalha na informatização da documentação produzida pelas várias Unidades nascidas da província Galo-Helvética.